Preencha os seus dados e imediatamente terá acesso ao contacto.








*campos de preenchimento obrigatório

O número de contacto para o SOS é
(+351 96 802 4121)

 

Periodontologia

PARA TER UM SORRISO MAIS BONITO E SAUDÁVEL

A Periodontologia é a área da Medicina Dentária que trata as doenças que afectam os tecidos que suportam os dentes. O periodonto (estruturas de suporte do dente) é constituído pelo osso alveolar, gengiva, cimento e ligamento periodontal. As estruturas periodontais têm funções muito importantes na cavidade oral tais como a manutenção dos dentes numa posição correta garantindo uma adequada função, conforto e estética. As doenças periodontais são bastante frequentes estimando-se que 8 em cada 10 pessoas com idade igual ou superior a 35 anos apresente algum tipo de doença que afecte a gengiva. As doenças periodontais não tratadas podem levar a consequências irreversíveis na cavidade oral. Hoje em dia a Periodontologia tem assumido um maior destaque uma vez que os “problemas de gengiva” não são restritos à cavidade oral, tendo implicações na saúde em geral. Estudos científicos recentes têm associado a Periodontite a outras patologias sistémicas como diabetes, infecções respiratórias, artrite reumatóide, doenças cardiovasculares, entre outras, constituindo também um potencial factor de risco para a ocorrência de partos prematuros em mulheres grávidas.

RESPOSTAS PARA AS SUAS DÚVIDAS

O que são as doenças periodontais/doenças de gengiva?

As doenças periodontais são as doenças que afectam os tecidos que suportam os dentes. Basicamente existem dois tipos: gengivite (doença inicial que apenas afecta a “parte superior” do periodonto – gengiva) e a Periodontite (doença mais avançada que afecta o suporte dentário em profundidade, levando à destruição do osso de suporte do dente).

Quais são os sinais e sintomas das doenças periodontais? Quais são os sinais de alerta?

As doenças periodontais de uma forma geral não são dolorosas, pelo que a dor numa fase inicial não costuma ser sinal de alerta. Existem, de acordo com a gravidade do caso, sinais e sintomas que podem surgir e aos quais os pacientes devem estar atentos, tais como:
– hemorragia durante a escovagem dentária normal;
– hemorragia que ocorre de forma espontânea ou durante a mastigação;
– gengivas que vão sofrendo retração causando a sensação de ter “dentes mais compridos”;
– perda de gengiva entre os dentes com aparecimento de “espaços”;
– gengivas com edema e muito avermelhadas;
– mau sabor e mau hálito;
– alterações na posição dos dentes;
– dor ao frio;
– dor persistente na gengiva;

O que é Gengivite?

A Gengivite consiste na fase inicial das doenças de gengiva, sendo relativamente fácil de tratar e de controlar. A Gengivite, ao contrário da Periodontite é reversível pelo que uma vez concluído um correto tratamento, a saúde das gengivas fica restabelecida.
A gengivite é causada pela acumulação de placa bacteriana na superfície do dente e na gengiva, sendo que em casos específicos outros factores poderão ter impacto.

O que é Periodontite?

Se a gengivite não for tratada, em algumas pessoas poderá progredir para a forma mais avançada da doença que se chama de Periodontite. A existência de bactérias em combinação com outros factores (susceptibilidade genética, factores de risco como tabaco, diabetes não controlada, entre outros e/ou ou factores locais da cavidade oral) poderá levar a uma Periodontite. Nesta fase da doença, a inflamação e a infecção progridem para as zonas mais profundas da gengiva com perda significativa do osso de suporte levando a alterações irreversíveis. Nas doenças mais severas e avançadas a Periodontite poderá levar à perda do dente, por falta de suporte suficiente que permita manter o dente na cavidade oral.

Quais são as causas de Periodontite?

A Periodontite é causada pela combinação de diferentes factores, sendo essencial a existência de bactérias. Para que a doença se desenvolva, factores de risco ambientais (tabaco, entre outros), sistémicos (diabetes, entre outros) e genéticos (susceptibilidade genética) deverão estar presentes de forma a que a doença progrida.
As bactérias ao avançarem ao longo da superfície da raiz do dente, começam a organizar-se de forma mais complexa o que leva a um processo inflamatório (resposta de defesa) significativo. Desta forma, nas zonas afectadas começa a formar-se um espaço chamado de bolsa periodontal onde as bactérias libertam produtos e toxinas que contribuem para a destruição do osso de suporte.

Como se diagnosticam as doenças Periodontais?

A avaliação da saúde das gengivas deverá ser feita utilizando métodos de análise clínica e através de exames radiográficos. Na consulta de diagnóstico, a realização de um periodontograma (exame específico através de medições) irá revelar a gravidade da doença através da avaliação das bolsas periodontais (espaço que se cria na zona inferior da gengiva e que surge por existir uma perda de osso de suporte do dente).

Quais são as consequências da Periodontite?

As consequências da Periodontite poderão ser locais, ao nível da cavidade oral, ou a nível geral com interferência na saúde global dos pacientes.
A nível da cavidade oral a Periodontite leva a uma perda significativa de osso que pode levar a consequências estéticas e funcionais, na medida em que, nos casos mais avançados, poderá levar à perda de dentes com compromisso severo da mastigação.
Hoje em dia já se sabe que a Periodontite também pode afectar o resto do organismo uma vez que a presença de uma quantidade elevada de bactérias poderá entrar na corrente sanguínea assim como substâncias resultantes da inflamação que poderão, desta forma, aumentar o risco para doenças cardiovasculares, aumentar a probabilidade de mulheres grávidas terem parto prematuro, afectar o controlo da diabetes, entre outros.

Como se trata a Gengivite?

A gengivite é uma doença superficial, que afecta apenas a gengiva e não o osso, tratando-se de forma relativamente simples através de destartarização (“limpeza dentária profissional”) e com a implementação de técnicas de higiene oral apropriadas que permitam remover de forma eficaz a placa bacteriana que se acumula tanto na superfície dentária como abaixo da margem da gengiva. A destartarização permitirá remover, de forma profissional a placa bacteriana e o cálculo (tártaro – placa bacteriana já calcificada e mineralizada).

Como se trata a Periodontite?

O tratamento da Periodontite é um tratamento por fases, precisamente por se tratar de uma doença crónica, relacionada em parte com a susceptibilidade genética. Para que o tratamento tenha sucesso é essencial uma cooperação do paciente ao realizar uma boa higiene oral em casa assim como cumprir as consultas de rotina específicas para o seu caso.
Numa primeira fase é realizada a consulta de diagnóstico (avaliação através de medição das bolsas periodontais e de exames radiográficos), com uma explicação pormenorizada da doença salientando a extrema importância da colaboração do paciente para o sucesso do tratamento. Nessa mesma consulta são explicados os métodos de higiene oral mais apropriados para cada caso específico assim como a sequência do plano de tratamento.
De seguida deverá passar-se para uma fase de tratamento profissional que consiste em destartarização e alisamento radicular, com eliminação das bactérias que se encontram depositadas sobre a superfície dentária e na gengiva. Estes procedimentos são indolores e realizados, quando necessário, com anestesia local.
Após conclusão desta fase de tratamento dever-se-á aguardar cerca de 6 a 8 semanas para a consulta de reavaliação periodontal, onde novamente será realizada uma medição das bolsas periodontais. Nesta consulta, dependendo da gravidade do caso poder-se-á concluir que a saúde periodontal está controlada e por isso a fase seguinte consistirá em consultas regulares de manutenção (periodicidade dependente de cada caso). Se a doença for mais avançada poderá ser necessário realizar cirurgia periodontal de forma a conseguir controlar a doença antes de prosseguir para uma fase de manutenção.
Em alguns casos específicos poderá ter que se recorrer a antibióticos de forma a melhorar os resultados do tratamento.

Quais são as melhores formas para realizar uma higiene oral adequada?

As técnicas de higiene oral devem ter como objectivo a eliminação da placa bacteriana que se deposita sobre a superfície dentária assim como abaixo da margem gengival. A forma como se escova os dentes assim como a utilização de fio dentário e/ou escovilhão deverão ser adaptados a cada paciente e a cada caso específico.
De uma forma geral, a escovagem dentária deverá ser realizada no mínimo 2 vezes por dia em associação com métodos para remover a placa bacteriana entre os dentes (1 vez por dia). Em casos específicos a utilização de colutórios (bochechos) poderá estar indicada.

Qual deve ser a periodicidade das consultas de manutenção?

Após uma fase de tratamento inicial e de acordo com cada caso será estabelecido um programa de manutenção com consultas frequentes, cujo intervalo vai depender do risco individual. Uma vez que a Periodontite é uma doença crónica, o paciente deverá sempre cumprir as consultas de forma a prevenir que a doença possa levar a uma destruição adicional e assim assegurar a saúde das gengivas.

O que é a recessão gengival?

A recessão gengival consiste na “retração” da gengiva que provoca uma exposição da superfície radicular do dente. Existem inúmeras técnicas que podem ser utilizadas para repor e voltar a recobrir a superfície exposta. Uma avaliação pormenorizada irá definir qual a melhor técnica para cada caso específico.

É possível recuperar as estruturas perdidas por Periodontite?

De uma forma geral, o osso que se perdeu por consequência da Periodontite não é possível recuperar. No entanto, em situações específicas poderão utilizar-se técnicas de regeneração periodontal que permitem restituir o osso perdido pela doença.

Pode-se prevenir a doença periodontal?

As doenças periodontais podem, em parte, ser prevenidas através da realização frequente de uma higiene oral rigorosa e meticulosa que inclua não apenas a escovagem dentária (pelo menos 2 vezes por dia), com a técnica apropriada, assim como a “limpeza” entre os dentes através de fio dentário e/ou escovilhão.
Apesar de uma higiene oral adequada, a saúde das gengivas deverá ser avaliada regularmente nas consultas com o Médico Dentista através de uma exame periodontal específico.

As doenças periodontais podem ter impacto em outras zonas do nosso corpo?

O impacto das doenças da gengiva em outras partes do organismo tem vindo a ser alvo de muitos estudos, tendo-se verificado que pacientes com formas mais avançadas da doença podem ter risco aumentado de doenças cardiovasculares, infecções respiratórias, atrite reumatóide, ocorrência de partos prematuros, entre outros.
Por esse motivo, salienta-se a importância de manter uma adequada saúde periodontal de forma a garantir não apenas a saúde oral mas também a saúde geral.

CONHEÇA A NOSSA EQUIPA

equipa-ines-faria
Inês Faria
• Licenciada em Medicina Dentária pela FCS–UFP.
• Especialização em Periodontologia pela FMDUL.
• Mestrado em Periodontologia pela FMDUL.
• Docente da Pós-Graduação em Periodontologia da FMDUL.

MARQUE JÁ A SUA CONSULTA

Na sua primeira consulta, fazemos o diagnóstico e elaboramos um plano de tratamento personalizado com um plano de pagamentos à sua medida.